Ultrassom 3D: quanto custa, por que fazer e quais as indicações

Ultrassom 3D: quanto custa, por que fazer e quais as indicações

Veja tudo o que você precisa saber sobre ultrassom 3D

Saiba tudo sobre ultra 3D e veja se vale a pena fazê-lo

ultra 3D é o nome mais curtinho do exame chamado ultrassonografia tridimensional. Esse procedimento é simples, indolor e não invasivo, funcionando a partir da conversão das ondas de som emitidas pelo corpo do bebê em imagem. Por isso, é possível ver todos os movimentos e cada pedacinho do novo integrante da família!

Ficou interessado e quer saber um pouco mais sobre o ultrassom 3D? Então continue a leitura! Nós vamos contar como ele funciona, o que é possível ver, a diferença entre o 2D e o 3D, seu valor e muito mais. Vamos lá?

Como o ultra 3D funciona?

ultrassom 3D é como uma máquina fotográfica superpotente, que tira milhares de fotos do bebê e as transforma em imagens tridimensionais, permitindo que você consiga ver o rostinho com mais clareza. Além disso, o ultrassom 3D pode ser uma ferramenta poderosa na hora de avaliar quaisquer complicações na gravidez.

O que é possível ver?

Hoje, o ultrassom 3D pode ser uma ajuda na hora de diagnosticar problemas de formação e até doenças não detectáveis no 2D. Um estudo publicado pela UFMG comparou a eficiência do primeiro na hora de predizer a letalidade da displasia óssea nos fetos.

Essa doença acontece quando há uma desorganização benigna no desenvolvimento dos ossos do bebê. No caso, o osso é trocado por uma grande quantidade de tecido conjuntivo fibroso. O estudo mostrou que o ultra 3D apresentou uma acurácia elevada em predizer a letalidade das displasias, com sensibilidade de 83,3% e especificidade de 100%.

Além disso, o ultrassom 3D identifica as mesmas doenças que um ultrassom convencional, porém, com uma imagem que permita avaliar melhor a gravidade do problema. Alguns exemplos de problemas que podem ser identificados no ultrassom:

  • defeitos na coluna do bebê;
  • malformações no cérebro, como hidrocefalia ou anencefalia;
  • lábio leporino;
  • malformações em órgãos internos e externos.

Qual é a diferença entre o ultrassom 3D e 2D?

ultrassom 3D ficou famoso nos últimos anos porque apresenta imagens muito mais nítidas que o 2D. Nesse último, para a máquina, o bebê é, digamos, “transparente”. Explicamos: na hora do exame, as ondas atravessam a pele do feto, deixando que os médicos e pais vejam apenas o que é osso e órgãos internos.

Já no 3D, a imagem é produzida pela soma de várias imagens 2D, possibilitando que os pais enxerguem detalhes não tão perceptíveis no bidimensional, como algumas particularidades do formato do rosto, da boca e do nariz, por exemplo.

Em qual momento da gestação é indicado fazer?

A indicação para quem quiser fazer o ultrassom 3D é entre a 26ª e 30ª semanas de gestação (2º trimestre), exceto em casos cuja recomendação médica é diferente. Isso porque, nesse período, é possível ver com mais detalhes o bebê, não só a estrutura óssea. Depois da 30ª semana, o espaço dentro do útero se torna menor e, com isso, diminuem as chances de vislumbrar o rostinho.

Dependendo da posição do bebê, da coloração, estrutura e volume do líquido amniótico, a visibilidade pode ser maior ou pior. É difícil conseguir prever antes do exame, mas conversar com ele pode ser uma forma de fazê-lo mexer e se mostrar mais.Veja o que o ultrassom 3D tem de diferente do ultrassom tradicional

ShutterstockO ultrassom 3D deve ser feito entre a 26ª e 30ª semana de gestação

Onde é indicado fazer?Hoje já não é tão difícil achar um local que realize esse exame, podendo, talvez, ser encontrado na própria clínica que a gestante realiza o pré-natal. De todo modo, existem clínicas especializadas em exames específicos, que demandam tecnologias mais avançadas, e existem alguns hospitais, nas grandes cidades, que também fazem o ultrassom 3D.

Por que realizar o ultrassom 3D?

Atualmente, o ultra 3D é comumente utilizado para fins estéticos, como um book fotográfico do bebê e até as impressões da imagem. No entanto, a chamada imagem espacial (3D) tem aplicações específicas na obstetrícia com indicação médica, além de ser bastante utilizada em outras áreas, como cardiologia e ginecologia.

“A utilidade está no diagnóstico de patologias e em medidas volumétricas com maior precisão e na maior facilidade de interpretação da imagem para as pessoas leigas (todos conseguem entender a forma e a posição do bebê)”, explica Wagner Kurt Clajus Oliveira, médico especialista em diagnóstico por imagem.

Quanto tempo demora?

Esse é um exame relativamente rápido de se feito, principalmente quando o bebê coopera para conseguir imagens nítidas. Caso contrário, pode ser que a mãe precise se movimentar um pouquinho para conseguir que o bebê fique em uma posição mais favorável para ter êxito, mas o ideal é que todo o período não passe de 20 minutos.

Quanto custa fazer um ultrassom 3D?

ultrassom 3D é um exame complementar que não substitui outros do pré-natal. Se houver necessidade médica comprovada, os planos de saúde são, geralmente, obrigados a cobrir, e pode ser necessário recorrer à justiça para garantir esse direito.

Nos casos de fins não médicos, o exame não está coberto e deve ser realizado em clínicas particulares, já que o SUS não conta com o aparelho adequado para realizá-lo.

Os preços do ultrassom 3D podem variar bastante dependendo da região, o que torna difícil estimar um valor. Existem clínicas que cobram R$ 200,00 a R$ 600,00, mas é sempre bom fazer uma pesquisa de preço em sua região, pois também tem aquelas que chegam a cobrar R$ 1.000,00.

Como deve ser feita a preparação?

Esse tipo de exame de imagem não necessita de nenhuma preparação especial, como jejum ou algo do gênero, entretanto, para conseguir imagens mais nítidas, é interessante que a gestante tenha bebido bastante água antes de fazer esse exame. Também é bom evitar usar cremes hidratantes na barriga antes de fazer o ultra 3D.

E o ultrassom 4D?

Com o avanço da tecnologia, outras opções ainda mais nítidas podem trazer à família uma visão mais delineada do bebê. O ultrassom 4D inclui a “dimensão tempo” no processo do exame, obtendo imagens em tempo real com maior velocidade.

“Isso permite observar os movimentos fetais e as imagens da superfície (pele) com maior definição, sendo possível até mesmo a identificação de características herdadas dos pais”, diz Wagner.

ultra 3D se tornou um aliado bastante útil para os obstetras e futuros pais na hora de prever possíveis doenças que o bebê possa ter, além de, claro, dar uma ideia melhor de como será o rostinho de seu filho.

Agora que você já sabe como o ultra 3D funciona, onde pode ser feito, média de preço e outros detalhes, leia também o nosso artigo sobre os exames do pré-natal para não perder nenhum!

Fontes consultadas

Hospital de Clínicas Universidade Federal do Paraná

Créditos: Bebê Mamãe
Leia a notícia original aqui

Abrir chat